Redes Sociais

twitter facebook

Eles querem meter «all the meat in the barbecue»

Eles querem meter «all the meat in the barbecue»

Mensagempor Maria Coelho em 08 set 2019, 15:19

https://www.zerozero.pt/wimg/n261935b/eles-querem-meter-all-the-meat-in-the-barbecue-.jpg

Quatro jornadas do Campeonato já ficaram para trás, agora segue-se a pausa para o compromisso das Seleções. Aproveitando esses dois indicadores, o zerozero apresenta-lhe durante os próximos dias, até ao início da 5.ª ronda da Liga NOS, a análise tática dos 18 participantes do principal escalão do futebol português. É a vez do Rio Ave. Alguém ainda se lembra dos dias em que o Rio Ave lutava pela manutenção? Os vilacondenses são das equipas mais consolidades em Portugal e um exemplo daquilo que um clube profissional deve procurar para evoluir de forma sustentada. Vila do Conde pede passagem europeia e para comandar o barco do Rio Ave chegou um homem capaz de meter a carne toda no assador, ou na adaptação do treinador «all the meat in the barbecue». Carlos Carvalhal está de regresso a Portugal e procura recolocar o Rio Ave na luta pelo acesso às competições europeias, algo que não aconteceu na época passada. Os vilacondenses apresentaram reforços interessantes do início ao fim do mercado e a primeira imagem dificilmente podia ser mais positiva. Retoques numa ideia para manter Depois do sétimo lugar da época passada, a sete pontos de distância da Europa, o Rio Ave promoveu algumas mudanças. A estratégia do clube continua a mesma, mas com retoques necessários para fazer desta uma temporada mais bem sucedida. O clube viu sair alguns nomes da época passada, mas reforçou-se com jogadores capazes de acrescentar muito ao plantel de Carlos Carvalhal, com Taremi como grande destaque. O iraniano promete ser uma das figuras do campeonato e a principal deste Rio Ave, que acrescentou outros nomes interessantes.

https://www.zerozero.pt/img/geral/584555_ori_.jpg

Aderllan e Diogo Figueiras foram contratados para a defesa, Kieszek regressou e veio colmatar a saída de Leo Jardim. Apesar das mexidas, o núcleo duro do Rio Ave mantém-se. Tarantini continua a ser a voz de comando, Diego Lopes e Nuno Santos acrescentam um toque diferente ao jogo e Filipe Augusto trata dos equilíbrios. Carlos Mané e Piazón, contratações surpreendentes, são nomes a ter em conta desde o banco. Ai está a carne! Os primeiros jogos da época permitem desde já tirar a seguinte conclusão: o Rio Ave é uma equipa interessante a jogar. Carlos Carvalhal disse que queria uma equipa a jogar à bola e é isso que tem acontecido neste arranque de temporada, quer em casa, quer fora, com o Desportivo das Aves ou com o Sporting. A identidade é para manter e percebe-se porquê. Na estratégia inicial, o Rio Ave parece alinhar em 4x3x3, mas mal soa o apito inicial desmonta-se num 4x4x2, com Taremi e Bruno Moreira na frente e Diego Lopes mais encostado ao lado esquerdo. Os vilacondenses gostam de ter bola e quando isso não acontece não ficam na expectativa. A equipa alinha-se num bloco de cerca de 20 metros e é Tarantini a voz de comando do treinador em campo. Sem bola, a pressão é alta, com bola o ritmo é imposto pelo momento e oportunidade. O ponto forte deste Rio Ave é o ataque à profundidade e as rotinas são já evidentes. Bruno Moreira arrasta um dos defesas e joga no apoio, Taremi procura movimentos nas costas da defesa, com Tarantini a envolver-se também neste processo. Diego Lopes e Filipe Augusto têm a missão de construir - o primeiro mais à frente e encostado ao lado esquerdo, o segundo recua até aos centrais para ir buscar jogo.

https://www.zerozero.pt/img/galerias/originais/326/591326_ori_amigavel_famalicao_x_rio_ave.jpg

Nesta equipa é interessante perceber também as rotinas nas faixas. O lado esquerdo é entregue quase na totalidade a Matheus Reis, que aproveita o espaço deixado por Taremi para fazer todo o flanco. No lado direito é o contrário. Nuno Santos joga com o pé esquerdo, mas colado à linha e com alguma liberdade no processo defensivo para depois sair com os avançados para contra-ataques que prometem dar que falar, pela capacidade dos homens da frente e dos médios, que mostram boa leitura de jogo. Quando a profundidade não funciona, a equipa de Carvalhal não tem medo de voltar atrás e recomeçar as jogadas junto dos seus defesas (e de Filipe Augusto), procurando que as trocas posicionais e os recuos de Bruno Moreira abram espaços na frente. A nível defensivo, se a pressão for forte tudo corre melhor à equipa de Carvalhal, que tem nesse setor coisas a corrigir. Nélson Monte tem sido adaptado a lateral, algo que pode ser corrigido com a contratação de Diogo Figueiras, mas a presença do defesa central à direita dá mais liberdade a Nuno Santos na frente. A fragilidade dos dois centrais com bola é também algo a corrigir - pouco risco, demasiado chutão. Este tem sido um Rio Ave de muitos golos marcados e muitos sofridos, mas o risco tem compensado e as ideias são claramente positivas. Dignas de uma equipa que mete «all the meat in the barbecue».

Ponto Forte
Ataque à profundidade É a jogada atacante mais vezes procurada pelos homens de Carlos Carvalhal. Taremi é exímio na procura do espaço atacante e encontrou em Bruno Moreira o parceiro ideal. O português arrasta os centrais com a sua leitura de jogo e com os apoios que dá aos médios, libertando espaços para o iraniano aparecer em situação de finalização. Tarantini também costuma juntar-se nesta procura da profundidade atacante.
Ponto Fraco
Centrais com bola Até ver é o principal pecado da equipa de Carlos Carvalhal, que muitas vezes começa as jogadas de ataque nos centrais, que colocam a bola nos pés de Felipe Augusto. Até aqui tudo bem, o problema é quando é preciso arriscar um passe mais vertical. Os centrais vilacondenses têm arriscado pouco neste aspeto e limitam-se a procurar o passe direto para os avançados, recorrendo ao jogo aéreo de Bruno Moreira e Taremi.


História

https://www.zerozero.pt/img/galerias/505/593505_med_taca_da_liga_rio_ave_x_ud_oliveirense.jpg.jpg

Entrar na luta europeia
Os vilacondenses reforçaram-se bem esta temporada e procuram fazer aquilo que têm vindo a conseguir nos últimos anos, com a última época a ser uma espécie de exceção. O Rio Ave é uma das equipas mais consolidadas do nosso campeonato - 12 épocas seguidas na Primeira Liga - e das que mais tem evoluído, mantendo uma identidade coletiva e individual, quer no treinador, quer nas aquisições. Promete estar na luta pelo top 6.

A Estrela

https://www.zerozero.pt/img/galerias/013/600013_med_liga_nos_rio_ave_x_desp_aves.jpg.jpg

Mehdi Taremi
O iraniano apostou em Portugal para dar um salto na carreira e mostrar-se no futebol europeu e promete ser o grande destaque da equipa de Carlos Carvalhal. Forte no ataque à profundidade, Taremi faz da velocidade e da finalização as suas principais armas e dá versatilidade a um ataque móvel e do qual promete ser a referência de golos. Aos 27 anos, chegou a altura de Taremi. Um nome para manter debaixo de olho esta temporada.

O Técnico

https://www.zerozero.pt/img/galerias/496/593496_med_taca_da_liga_rio_ave_x_ud_oliveirense.jpg.jpg

Carlos Carvalhal
O treinador regressou a Portugal para trazer um futebol e um discurso diferente da norma e os primeiros sinais são bastante positivos. O técnico tem como objetivo para esta época colocar os vilacondenses na luta pelo acesso às competições europeias. A competição é feroz, mas o treinador parece ter trazido boas ideias de Inglaterra. No que toca ao discurso é, de facto, um regresso de saudar.

Texto retirado do zerozero.pt
Maria Coelho
Moderador
Moderador
 
Mensagens: 12106
Registado: 13 mai 2019, 22:05

{ SO_SELECT }

{ SHARE_ON_FACEBOOK } Facebook { SHARE_ON_TWITTER } Twitter { SHARE_ON_ORKUT } Orkut { SHARE_ON_MYSPACE } MySpace

Voltar para Rio Ave Futebol Clube

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante