Página 1 de 1

Joaquim Murça: «Quiseram fazer de mim o bode expiatório»

MensagemEnviado: 10 fev 2012, 03:25
por admin
http://www.record.xl.pt/storage/ng2E26B51B-FB85-45F7-8B75-16A4BC4BB26A.jpg?type=big

TREINADOR EM ENTREVISTA

Saiu do Belenenses em litígio. Foi contactado para um acordo que não se consumou e recusa a ideia de ser culpado pelo facto de os azuis não terem inscrito jogadores em janeiro.

RECORD – O que se passou, de facto, com o Belenenses?

MURÇA – Estive 6 meses sem receber, tentando sempre falar com o clube na esperança de que me pagassem, mas a resposta era a de que não havia dinheiro. Foi nessa altura que comuniquei ao Belenenses que não tinha como sobreviver e teria de levar o caso a tribunal. Era a última coisa que queria fazer, tratando-se do Belenenses, um clube que defendi, de coração, durante 30 anos. Chegou a haver uma tentativa de acordo que nunca se consumou. Esta é uma situação que dura há um ano.

R – O clube não falou consigo durante todo este tempo?

M – O Belenenses disse-me que só podia pagar uma determinada verba. Chegámos a um princípio de entendimento no qual eu abdicava de uns meses de vencimento. Davam-me um “xis” e o resto em prestações suaves. Olhando para a situação do clube, aceitei. Porém, uma semana depois o meu advogado recebeu um e-mail do clube a comunicar que, afinal, não havia acordo. Isto aconteceu em novembro de 2011.

In Record