Redes Sociais

twitter facebook

Quem está a tirar melhor rendimento dos reforços?

https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTZ4gO2PzKaYfgR-pYpPmXR40v2b45njYh615j9BNbIkuxwJ7ZV

Quem está a tirar melhor rendimento dos reforços?

Mensagempor admin em 08 Oct 2019, 00:34

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d9b75d30b7015deb83ab2fa/960

Análise às caras novas de Benfica, FC Porto e Sporting

O FC Porto foi quem mais investiu em reforços e é quem está a tirar mais partido dos jogadores contratados esta temporada. No Benfica Raul de Tomás é a única aposta regular até agora. E no Sporting, em absoluto quem foi buscar mais jogadores, há algumas apostas regulares, mas que demoram a ganhar influência.

O Maisfutebol analisou os números dos reforços para ver quem está a fazer render mais as apostas, com apoio dos dados do SofaScore, e com um olhar também para os jovens da formação que estão a ter oportunidades esta temporada.

O jogador com mais influência direta de todos os que foram contratados pelos chamados grandes esta época é Zé Luís. O avançado do FC Porto leva já sete golos marcados, seis deles na Liga, onde divide a liderança dos melhores marcadores com o benfiquista Pizzi.

Quanto a tempo jogado, lideram também dois reforços do FC Porto, que foi o clube que perdeu mais jogadores nucleares e foi portanto buscar reforços para entrar de imediato na equipa. Marchesín e Marcano têm 990 minutos cada um e tanto Uribe como Zé Luís e Luis Díaz têm mais minutos de jogo do que o primeiro reforço dos rivais, o benfiquista Raúl de Tomás. A seguir na lista vem o reforço mais utilizado pelos leões, Luciano Vietto.


Além de Zé Luís, o FC Porto já teve mais quatro golos apontados por reforços: cinco se contarmos também com Sérgio Oliveira, que regressou de empréstimo. Ou seja, metade do total dos golos apontados até agora pelos dragões nos 12 jogos da época. O Benfica tem quatro golos marcados por reforços e o Sporting apenas um.

Em termos de rendimento por tempo jogado, há dois casos singulares no Benfica. Vinicius tem dois golos em 98 minutos em campo, um golo a cada 49 minutos, e Chiquinho fez um golo e uma assistência em 65 minutos em cada. São os melhores reforços em termos de relação tempo de jogo/influência. A seguir vem o portista Zé Luís, com um golo a cada 100 minutos.

Vinicius e Chiquinho têm pouco tempo de utilização, mas têm ambos lesões como condicionantes. O brasileiro já voltou, mas o português apenas deve regressar em 2020. Entre os reforços que ainda não se afirmaram de todo, o FC Porto tem de resto Renzo Saravia, apenas um jogo e 38 minutos em campo, enquanto no Sporting há o caso de Rafael Camacho, apenas três minutos em campo, e Eduardo, que tem estado lesionado e ainda não se estreou.


Os reforços dos grandes caso a caso

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d4749050cf2918a3666e787/500

Benfica

O Benfica foi dos três chamados «grandes» aquele que menos jogadores contratou. Ao todo são quatro reforços no plantel principal. Foram ainda contratados Jhonder Cadiz, entretanto cedido ao Dijon, e o jovem defesa Morato, integrado na equipa B.

Raúl de Tomás é de longe o reforço mais utilizado pelo Benfica. O avançado espanhol, que foi o jogador mais caro do futebol português esta época (um investimento de 20 milhões de euros), foi titular em oito dos 11 jogos das águias. Ainda não conseguiu marcar na Liga, tendo apontado o primeiro golo com a camisola das águias na derrota da semana passada com o Zenit para a Liga dos Campeões.

Caio Lucas é em termos de minutos jogados o reforço que se segue, ainda assim a grande distância. O brasileiro fez cinco partidas, quatro delas com suplente utilizado, entrando a 15 minutos do fim em todas elas, excetuando o jogo com o Zenit, em que jogou meia hora. Foi titular no nulo de Taça da Liga com o V. Guimarães, mas não fez os 90 minutos.


O percurso dos outros dois reforços tem condicionantes particulares. Carlos Vinicius tem seis jogos, todos como suplente e com menos de 100 minutos jogados, mas esteve parado três semanas por lesão. O brasileiro que também representou um investimento avultado do Benfica, 17 milhões de euros, tem uma excelente relação entre tempo de jogo e golos marcados, dois em 98 minutos.

Quanto a Chiquinho, foi utilizado como suplente em todos os jogos até sofrer uma lesão grave, no clássico com o FC Porto, que deve mantê-lo afastado dos relvados até ao início de 2020. Até aí o médio português tinha deixado boas indicações, com um golo e uma assistência em 65 minutos jogados.

Há mais caras novas este ano do Benfica, com a aposta em alguns jogadores da formação. O lateral Nuno Tavares foi quem teve mais oportunidades, reforçadas pela baixa de André Almeida: fez cinco jogos a titular - em todos eles esteve 90 minutos em campo - , e tem um golo marcado. O também lateral Tomás Tavares tem quatro jogos, três deles a titular e com 282 minutos jogados. David Tavares, que saiu do banco no jogo com o Leipzig e fez 23 minutos, foi o outro jogador da formação utilizado até agora por Bruno Lage.

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d9b4e060cf212b3ef639cdc/600

FC Porto

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d87d98f0cf2b1f734f4d249/500

O FC Porto foi dos chamados grandes quem perdeu mais jogadores nucleares, foi também aquele que mais investiu e que está a ter mais retorno. De Zé Luís a Uribe, de Marchesín a Marcano, há várias caras novas com números sólidos e rendimento. Há cinco jogadores com mais de 600 minutos nos 12 jogos dos dragões até agora, ou seja, mais de metade do tempo de jogo.

O reforço mais produtivo é de longe Zé Luís. O avançado brasileiro tem sete golos marcados ao longo de 11 jogos, três deles como suplente utilizado, e é o melhor marcador da Liga a par do benfiquista Pizzi.

Quanto aos mais utilizados, destacam-se o guarda-redes Marchesín, que assumiu a titularidade desde o primeiro dia e só não foi utilizado num jogo até agora, a partida com o Santa Clara para a Taça da Liga, bem como o regressado Marcano, que tem os mesmos 990 minutos de Marchesín. O central espanhol já marcou além disso dois golos.


Depois há Matheus Uribe, que agarrou a titularidade quando entrou para substituir Sérgio Oliveira no jogo com o Krasnodar e tem feito parte do onze inicial desde então em todos os jogos, excluindo a Taça da Liga.

Luis Díaz é de resto o único reforço portista utilizado em todos os jogos, sete deles a titular, sendo que apenas em três jogou os 90 minutos. O colombiano é o quinto reforço portista em minutos jogados, tem dois golos e duas assistências.

Menos regular é a utilização de Shoya Nakajima, o investimento financeiro mais avultado do FC Porto esta época, que foi opção em sete jogos, quatro deles a titular, e só por duas vezes fez 90 minutos. O japonês têm uma assistência para golo e ainda não marcou.

O reforço com menos aproveitamento do FC Porto é de resto Renzo Saravia. O argentino tem apenas 38 minutos de jogo. Titular no jogo com o Krasnodar que ditaria o afastamento do FC Porto da Liga dos Campeões, foi substituído por Corona e não voltou a jogar.

Além dos reforços formais, há ainda Sérgio Oliveira, que regressou esta época ao plantel do FC Porto. O médio português foi titular nos três primeiros jogos e marcou um golo, mas desde a lesão sofrida frente ao Krasnodar está fora das contas.

Depois há várias caras novas no plantel dos dragões, jogadores da formação promovidos esta temporada. Entre os jogadores que se estrearam em absoluto nesta época aposta mais sólida é Romário Baró, que tem seis jogos, cinco deles a titular, com dois golos marcados e 387 minutos jogados, antes de se lesionar na partida da Taça da Liga frente ao Santa Clara, há duas semanas. Também o avançado Fábio Silva tem tido algumas oportunidades, tendo sido utilizado em seis jogos. Com um total de 117 minutos e ainda sem golos marcados, já fez história, ao tornar-se no jogo de Taça da Liga com o Santa Clara o titular mais jovem de sempre pelo FC Porto. O guarda-redes Diogo Costa também já mereceu um jogo na baliza, essa partida de Taça da Liga, enquanto Tomás Esteves, outro dos jogadores promovidos esta época, ainda não se estreou.

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d9bb84f0cf2d9551376c759/600

Sporting

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d83be160cf2bd64e1c55cb1/500

O Sporting foi em absoluto dos três grandes aquele que contratou mais reforços, um total de oito caras novas em Alvalade. Alguns com utilização regular, outros com muito pouco ou nenhum rendimento.

O mais utilizado até agora foi Luciano Vietto, também o único que tem mais de metade do tempo possível de jogo. Em 11 partidas disputadas até agora pelos leões, o argentino jogou nove, sempre a titular. Em 541 minutos em campo, tem um golo marcado.

Yannick Bolasie é um dos reforços que se tornou aposta consistente. O congolês, que chegou no fecho do mercado, entrou na equipa no jogo com o Boavista e desde então foi totalista, com cinco jogos e 90 minutos em cada um. Só não foi opção no jogo de Taça da Liga com o Rio Ave. Também Rosier ganhou lugar no lado direito da defesa de forma continuada depois da saída de Thierry Correia e desde então apenas não foi utilizado no jogo com o Lask Linz para a Liga Europa.

O central Luís Neto é o quarto reforço mais utilizado, com 420 minutos em seis jogos, cinco deles a titular. Mais do dobro do médio Eduardo, que já foi utilizado em seis jogos mas apenas dois a titular, sem ter feito 90 minutos em nenhuma partida.

O espanhol Jesé, outro dos jogadores que chegaram por empréstimo no final da janela de transferências, tem quatro jogos, dois deles a titular, tendo sido substituído em ambos. Também ainda não teve influência direta, com golos ou assistências.

Depois há Rafael Camacho, que tudo somado tem três minutos em campo, divididos por dois jogos. E Fernando, o terceiro reforço de última hora do Sporting, que está indisponível por lesão e ainda não foi opção.

Quanto a jogadores da formação, não tem havido apostas regulares esta época. Há o caso particular de Pedro Mendes, que teve uma estreia notável, com o golo ao PSV Eindhoven um minuto depois de entrar em campo, mas não foi inscrito na Liga. Tem portanto um golo em nove minutos de jogo pela equipa principal. Gonzalo Plata, que chegou na época passada mas só esta época entrou na órbita da equipa principal, já foi utilizado em dois jogos, um deles a titular, frente ao Boavista, com 89 minutos no total.

https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d9b4e080cf2bd64e1c5a803/600

In Mais Futebol
Avatar do Utilizador
admin
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 225646
Registado: 21 set 2011, 22:13

{ SO_SELECT }

{ SHARE_ON_FACEBOOK } Facebook { SHARE_ON_TWITTER } Twitter { SHARE_ON_ORKUT } Orkut { SHARE_ON_MYSPACE } MySpace

Voltar para Liga NÓS

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante