Redes Sociais

twitter facebook

Morreu o dramaturgo e ator Sam Shepard

Morreu o dramaturgo e ator Sam Shepard

Mensagempor Jo@o_M@ri@ em 31 jul 2017, 16:58

http://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&name=original&id=8675657&w=579&h=371&t=20170731163700

O dramaturgo, argumentista e ator norte-americano Sam Shepard morreu no domingo, dia 30, em sua casa, no Kentucky. Tinha 73 anos.

Ganhou um Prémio Pulitzer para Drama, em 1979, pela sua peça Buried Child, e esteve nomeado para o Óscar de Melhor Ator Secundário pela sua interpretação do piloto Chuck Yeager em The Right Stuff (1983), realizado por Philip Kaufman.

Nascido a 5 de novembro de 1943, Samuel Shepard Rogers III começou por se dedicar à agricultura, como o seu pai, mas foi seduzido pelo mundo das artes (a música, as artes visuais, o teatro, a literatura) e deixou o Illinois para se estabelecer em Nova Iorque, trabalhando com companhias off-off Broadway, como por exemplo o Theatre Genesis. Entre 1966 e 1968 ganhou seis Obie Awards (que são os prémios do teatro off-Broadway). Estreou-se a escrever para o cinema em 1969 com Me and My Brother, filme de Robert Frank.

Um habitué do Chelsea Hotel, rapidamente se integrou na cena psicadélica Nova Iorque. Em 1969, a sua peça de ficção científica The Unseen Hand iria influenciar o espetáculo musical de Richard O'Brien The Rocky Horror Show. Em 1971, a peça Cowboy Mouth (uma colaboração com Patti Smith, que era sua namorada) foi produzida pelo The American Place Theatre. Outra das suas colaborações importante nesse período foi com Bob Dylan.

Em 1975, Sam Shepard foi nomeado dramaturgo residente no Magic Theatre, em São Francisco. É desse período a famosa "trilogia da família": Curse of the Starving Class (1976), Buried Child (1979) e True West (1980). Seguiram-se outras peças importantes, como Fool for love (1983) e A Lie of the Mind (1985). Sam Shepard mostrou uma América negra, onde a família não era um porto de abrigo.

Em Portugal, Loucos por Amor (Fool for Love) tem sido uma das suas peças mais representadas. Em 1990, João Lourenço encenou-a no Teatro Aberto, com Luísa Salgueiro, Virgílio Castelo, António Filipe e Rudolfo Neves. Em 2003 foi a vez de Ana Nave a encenar, no Teatro Nacional D. Maria II, com interpretações e Catarina Furtado, Marco Delgado, Pedro Laginha e Rui Morrisson.

A peça decorre num pequeno e claustrofóbico quarto de um motel na margem do deserto Mojave, onde se encontram May e Eddie, um casal enredado num amor louco mas difícil, entre mentiras e ódios. Sam Shepard escreveu Loucos por Amor pouco depois de se ter separado da sua mulher O-Lan e ter iniciado o seu relacionamento com a actriz Jessica Lange. Numa carta ao seu colaborador, Joe Chaikin, Shepard explicou que se tratava do "resultado de todo este sentimento tumultuoso por que tenho passado este último ano... é uma peça muito emocional e embaraçante mas ao mesmo tempo é necessário para mim testemunhá-lo".

Shepard começou a sua carreira como ator em Dias do Paraíso (1978), de Terrence Malick, ao lado de Richard Gere e Brooke Adams:



Mas muitos se lembrarão dele em Ligações Quentes, de Robert Altman (1985) ou em Diário de uma Morte Anunciada, de Robert Allan Ackerman (1994).

In DN Desporto
Avatar do Utilizador
Jo@o_M@ri@
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 48689
Registado: 30 mai 2015, 00:37

{ SO_SELECT }

{ SHARE_ON_FACEBOOK } Facebook { SHARE_ON_TWITTER } Twitter { SHARE_ON_ORKUT } Orkut { SHARE_ON_MYSPACE } MySpace

Voltar para Cinema e TV

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante